29/11/2018 08h46 - Atualizado em 29/11/2018 08h46

Dono de site participou de complô para matar Blogueiro dentro da cadeia

Da Redação
 
Marcos Reis

Dono do i9, Fabiano Portilho que cumpria pena por extorsão no Centro Penal Agroindustrial da Gameleira, até o dia 29 de outubro passado e que foi autorizado a se deslocar até o Hospital Nosso Lar teria se EVADIDO DA COLÔNIA por ter sido avisado por um Agente Penitenciário e pelo seu ADVOGADO de que queriam te MATAR dentro e fora da cadeia. O contratante seria o dono do Site Top Midia, Marcos Américo dos Reis.

Segundo o boletim de ocorrência a mãe de Fabiano Portilho, dona Celene Portilho Coene procurou o Depac para informar as autoridades competentes que seu filho estava sofrendo ameaças de morte dentro da cadeia, a informação foi repassada por Juliano Vaka assessor do Ministro Carlos Marun.

Conforme informação, o dono do Site ja teria contratado até o mediador do serviço de pistolagem, seria Rui Gerson Brandini, o "Gaúcho" cconhecido intermediador de pistoleiros e serviços sujos em Campo Grande.

O mesmo é visita constante na empresa do Publicitário e AMIGO DE INFÂNCIA Marcos Reis. "Gaúcho" é o principal suspeito por ter matado e incendiado o Agiota da Assembléia Legislativa em plena luz do dia em 11 de Julho de 2017.

Os nomes que estariam particpando deste "consórcio" para matar jornalista seria: Eduardo Bottura de São Paulo, Marcos Reis do Top Midia, os advogados, Ary Raghiant, André Puccinelli, Edson Giroto e diversos políticos do MDB e empresários conhecidos em Campo Grande (MS).

Acompanhe o caso

Homem de 56 anos se apresenta à polícia e confessa assassinato de agrônomo

https://www.campograndenews.com.br/cidades/capital/homem-de-56-anos-se-apresenta-a-policia-e-confessa-assassinato-de-agronomo

Engenheiro foi morto e queimado por 'amigo' que o ajudava em cobranças

O engenheiro Sebastião Mauro Fenerich, 69 anos, encontrado carbonizado no último dia 10 de julho,, foi morto por um 'amigo' que o ajudava em uma cobrança, no dia do crime. O autor confesso, segundo a Polícia Civil de MS, é Rui Gerson Brandini, de 56 anos. Ele é ex-assessor parlamentar e compareceu na delegacia, nesta quarta-feira (2), onde disse que Sebastião teria morrido após bater a cabeça no chão, durante uma briga entre os dois.

De acordo com as informações do delegado Márcio Obara, titular da DEH (Delegacia Especializada em Homicídios) Rui, também conhecido como "Gaucho", não se apresentou por vontade própria, mas foi até a delegacia após intimação. Ele deve responder ao crime em liberdade, já que prisão preventiva não foi pedida.

Agiotagem

Rui, ou 'Gaucho' já foi assessor parlamentar, nomeado para o cargo de 'secretário parlamentar' , do Quadro de Pessoal da Câmara dos Deputados em 2011. O autor confesso do homicídio, segundo a Polícia Civil, nega a prática de agiotagem, mas afirma que pessoas que precisam de dinheiro o procuram para que ele indique pessoas ou locais onde conseguir o "empréstimo".

Cerca de R$ 1 milhão em cheques pré-datados no nome de vários DEPUTADOS foram encontrados pela perícia na casa de Sebastião e a apreensão reforça a ideia de a vítima do crime, trabalhava como agiota. Em princípio, o crime é tipificado como homicídio doloso e ocultação e destruição de cadáver. Caso fique comprovado o relato do depoimento, pode mudar para lesão seguido de morte. Obara informou ainda que Sebastião respondia pelo assassinato da primeira esposa. O automóvel Hyundai HB20 foi incendiado com um corpo no porta-malas na tarde do dia 10 de julho. Na mesma noite, a perícia da Polícia Civil foi até a casa de Sebastião onde, além dos cheques encontraram duas armas, uma espingarda calibre 12 e um revólver 38, foram apreendidas.

Boletim de Ocorrência

Envie seu Comentário